Translate translator 翻訳 Переводчик

Coração adolescente

Coração adolescente
.
...
.
.
.
.

Se não te encaro de frente,
É por pura cobardia
Um dia, talvez um dia
O medo de ouvir o que não quero
E que jamais mereço ouvir
Se é que algum dia te direi
Não sei, não sei…
Não vejo outra razão
Para tanta hesitação
Não sei como, nem porquê
É assim, é mesmo assim
Como facilmente se vê
Coração que tanto palpita
Louco, mais que louco
E é por isso que hesita
Não consigo, não consigo…
Olhar de frente para ti
Vendo-te tão bela
Tão linda, tão distante
Será que falta a coragem,
Talvez, sim talvez

Vejo-te e beijo-te em sonhos
Digo-te quem sou
Em gestos e palavras
Mil e uma vezes ensaiadas
Para que a coragem
não volte a falhar
Vou esperando impaciente
um dia, um mês, um ano
uma eternidade
mas esse dia há-de chegar
o esperado momento
Um dia… talvez um dia
Pegue na tua mão
E te leve nos meus braços
Num tango arrebatador capaz de tudo
Ou então suavemente
Numa valsa sem fim
Rodando pelo salão
Olhando-te nos olhos
Vendo que afinal tens olhos para mim
Vendo os outros salivando
Mas nada terão
E eu garboso e altivo
Finalmente feliz
Sentindo que és minha
A minha rainha,
Nesse baile de emoções
Onde bailam dois corações
Onde mesmo sem falar
acertam o passo
e sonham assim ficar
Sentirás o que diz o coração
Vais sentir o que por ti sinto
E o que realmente sinto,
Ele não mente e eu não minto…
Nada mais conta, nada nem ninguém
Impedirão este amor arrasador
Entretanto espero o momento
Resisto, resisto e resisto…
Sou o rio que corre
Que sabe que encontrará o mar
Por mais que se queira atrasar
Barragens, montes ou vales
Ninguém o irá deter
Será um puro engano
E me engano a mim mesmo sem querer
Ou vou continuar a sonhar?
Tu serás minha, apenas minha
Mera questão de tempo
Nada mais…

Repentinamente tudo parou
Sei que estás aí, sinto mesmo sem te ver
Tremo, tento enganar o coração
Desculpas mais desculpas irei dar
Digo que não é o momento
Mas eu conheço o cheiro os passos
Sinto a tua presença no ar
Faço que não te vi
Escondo o rosto que subitamente corou
Vós embargada será simplesmente emoção,
Diz – lhe o que sentes por ela coração
Estás tão perto e tão longe,
Voltam as dúvidas
Afinal nada sei
Pobre coração que tanto palpita,
Qual adolescente que hesita
Quando vi quem eras, num repente
De repente de repente
A morrer de amor por ti

Finjo, disfarço
Faço que não te vi
Respiro fundo
Vou em frente
E digo para mim baixinho
É hoje, é hoje…
O coração não me mente
É hoje que finalmente te digo
Que nada sem ti, faz sentido
E se há algo em que penso
Algo mais que sinto e espero
É dizer-te quanto amo
Quanto quero
E se depois disso ainda
Não for suficiente
Abre o peito de repente
Mostra o coração
Ele não mente, ele não mente
cala então a boca
Deixa-o falar por ti
Finalmente

16 comentários:

Lau Milesi disse...

Bom Dia!!!! Estou encantada com o seu poema!!! Meus parabéns!!! Lindo, sublime...tudo o que realmente um coração apaixonado sente.

Um abraço

E.T. Minha avó materna era do Porto. Tive oportunidade de conhecer sua terra e amei!!!

Adriana Godoy disse...

Gallobar, esse poema trata de uma maneira intnsamente poética a insegurança, o medo, a paixã, a dualidade tão presentes na alma adolescente, mesmo que num corpo adulto. Atire a priomeira pedra quem não já ficou como um adolescente mesmo maduro? O coração é quem fala, o reso são bobagens. Belo, Gallobar mui belo. beijo.

AFRICA EM POESIA disse...

António
Gallobar

O problema é que o mundo deixou de saber rir...
E rir é alegria e Amor

eu este ano fui até S.Tomé e vou ficando por aqui..


um beijo...

TONS DE VERÃO

O verão chegou…
Com Sol…
Calor …
Amor …
E …
Muito Amor…

E nós…
Vamos gozando…
O que …
O Verão nos dá…
Pois…
Ele é curto…
E …
Quando…
Acordarmos.
Ele …
Já não está!...


Lili Laranjo

Delirius disse...

É verdade, António!
Quantas vezes se perde tudo por sermos capazes de dizer "amo-te"!

Está lindo o teu poema. Adorei.
Beijo.

Francisco disse...

Amigo António.
Dizer que é lindo o poema, é "chover no molhado"!
Você tem o dom de deixar nossas vidas mais leves, com belos textos e imagens idem.
Como você sabe, também andei um pouquinho afastado do blogue, mas estou de volta.
Um grande abraço!

Sonia Schmorantz disse...

Sem pretensão poética e escreve assim? O poema está lindíssimo!
abraço

Faces de Mulher disse...

Bom dia Antônio!!!
Quando estamos interessados em alguém...
Durante a conquista ficamos inseguros...
Então, até chegarmos ao que desejamos ficamos aflitos...
Depois que conseguimos o que queremos...
Vemos que a conquista se fará a cada dia...
O amor é belíssimo...
Bjs
Chrys
;)

Luciana P disse...

Lindo poema, Antônio,
PAssando para conhecer o seu blog que, aliás, é de ótimo gosto e com uma ótima estática.
Parabéns pelo espaço!

Beijos!

E.Rakowski disse...

Ola!!!
vim agradecer a adorável visita,
muito bonito o que escreveu,
parabéns pelo blog!!

Um abraço.

DIABINHOSFORA disse...

Lindíssimo e cheio de verdades!
Parabens...

b disse...

Desejo-lhe umas férias de setembro que o façam ouvir, ver, sentir o seu outono.
Saberá sim.
Conte, conte prá nós.

CPDL disse...

Um trabalho FENOMENAL!!!!

AFRICA EM POESIA disse...

Eu estou de férias---



CRUZAR

Cruzar letras...
Formar palavras...
E deixar no ar...
Dúvidas e certezas....
As letras têm...
Essa magia...
Basta que nós...
Sintamos a vontade...
De escrever ,de cruzar...
De formar palavras...
De partilhar tristezas e alegrias...
Só assim...olhámos e sentimos ...
Que muitas vezes...
Mesmo sem querer...
Fizemos poesia...


LILI LARANJO

Ana Martins disse...

Belíssimo poema, parabéns!
É uma verdadeira prece de amor!

Beijinhos,
Ana Martins

Maria Emília disse...

António,
Aconselho vivamente a que continue a não ter pretensões poéticas e a dizer muitas vezes:
"Eu amo-te". Venha sempre que puder. Gostamos de o ter por aqui.
Um abraço,
Maria Emília

A Senhora disse...

Coisa mais gostosa é amor adolescente, mesmo quando mais que adultos. E você retratou tão bem... :)