translator 翻訳 Переводчик

Cumpre-se o destino
.
.
.
A terra ingrata não deu o pão que precisas,
pega nas redes e vai o mar é teu, avança
homem valente, o mar bravio espera
afoito a ele se faz, com esperança.
.
.
O medo fica em casa ou na areia da praia
Onde vultos negros gritaram “hoje não vás!”
E depois aí velam ausências e lutos
que a maré cheia da memória, todos os dias traz
.
...
Preces das mulheres com os filhos presos na saia
olhando o mar, perdidas na areia contando as ondas aflitas
vendo que o seu homem teima em não chegar
..
...
O pânico de não voltar, enche o peito de revolta
Reconhecendo o risco, mas há bocas e filhos pra criar
Entre medos cumpre-se o destino deste povo em navegar…


.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.



.

António Gallobar

20 comentários:

Paula Raposo disse...

Pois é. Assim é a vida...beijos para ti.

A Senhora disse...

Eu fico a me perguntar quantas mães e mulheres já não ficaram na angústia da espera do filho e marido que não voltou. E hoje, já nem precisa pegar o barco para o sutento - basta sair de casa.

beijinhos

Anne Lieri disse...

Comovente e perfeita sua poesia!Adorei!Abraços,

Sandra disse...

Vim retribuir o carinho deixado em as um voo livre.
Estou vindo muito pouco, nos blogs. Pois meu PC está com problemas. está travando o tempo todo. Está indo para manutenção.
Mas mo assim, sempre damos um jeitinho para vim aadecer os amigos do coração.
Sandra

Efigênia Coutinho disse...

António Gallobar, mesmo estdo viajando,
não podera deixar de vim ler
seu belo Soneto....
Saudosamente,
Efignia Coutinho

Julieta Ferreira disse...

Retribuo a sua visita. Gostei da variedade com que nos presenteia. E este poema em particular que tem tanto a ver com o povo que somos e o nosso constante elo com o mar. Esplendorosa a fotografia do sol quase a beijar o oceano... Convida ao sonho...
Ate breve.

Adriana Godoy disse...

Que beleza, Gallobar. Um poema como esse é tão intenso e belo que dá gosto, embora um tanto quanto triste e real. e lembrou uma música de Dorival Caymmi: " É doce morrer no mar, nas ondas doces do mar" Beijos.

Ana Martins disse...

Aplaudo este belo e sentido soneto, nele há uma dor e revolta vencidas pelo amor de ver os filhos crescer!

P A R A B É N S !!!!

Beijinhos,
Ama Martins

DIABINHOSFORA disse...

Linda, esta homenagem aos pescadores! Muito merecida também. É um facto que todos os dias arriscam a vida, com o seu modo de vida.

Beijo

Viagens pelo Mundo disse...

Caro António,
Sou uma apaixonada por poesia e este seu poema, cheio de sentimento e emoção, toca-nos na alma. Sinto nele o espírito das gentes do mar. Povo audaz, corajoso, mas necessáriamente sofredor. Parabéns pela beleza das palavras. E findas as férias é tempo de voltar ao blog e recordar as viagens.Um grande abraço e é um prazer passar por aqui. TI

Chris disse...

Palavras que comovem como o mar da espera, do que pode voltar ou não na próxima onda que o mar guarda.
Foi um prazer conhecer este seu epaço.
Abraço
Chris

Maria Emília disse...

Belissimo, António. Gostei de verdade das palavras, das imagens e da ideia de as trazer até nós. Obrigada.
Um abraço,
Maria emília

Lauci disse...

Lindo , Antonio!!! Infelizmente, há muitas pessoas que "esperam" a vida inteira.
Parabéns por sua sensibilidade!!
Um beijo.

O mar me encanta completamente... disse...

Olá,poeta.
Vim agradecer a gentil visita.
Gostei do seu cantinho.
Temas fortes, precisos,
e altamente reflexivos.
Parabéns.

Beijinho

Gloria

Tomei a liberdade de juntar-me aos
seus seguidores, para acompanha-lo
mais de perto.

Glória Salles

Ava disse...

Antonio, impressionada com a força de seu poema... e pelas fotos, que o completa magnificamente...

Bom passar por aqui...


Beijos!

HSLO disse...

É a primeia vez que passo...por aqui e confesso que gostei, já sou um seguidor pois voltarei outras vezes.

Abraços


Hugo

susana disse...

Lindo o seu poste para as mulheres que esperam seus homens do mar,assim como o seu bloge é muito aconchegante, com poemas muito bons,é uma honra para mim a sua visita no meu cantinho.

Beijo de um anjo
Susana

Alvaro Oliveira disse...

Olá amigo ANTónio

Por favor passe em meu blog para receber o selo
BLOG DE LUZ ao cimo da barra lateral. Espero-o

Adorei este seu lindo soneto.

Bom fim de semana

Um abraço

Alvaro

Isabel José António disse...

Querido Amigo,

Depois de umas merecidas férias que mesmo assim souberam a pouco, cá estamos de regresso...

Não estamos esquecidos do seu simpático selo e em breve viremos finalmente buscá-lo.

Actualizámos hoje os nossos blogues e até anunciámos, no nosso Observatório, o surgimento de um blogue sobre Vegetarianismo como Ética de Vida - o link está no Observatório e é

http://chefvegetariano.blogspot.com

Um abraço,

Isabel

Meg disse...

Belo poema sobre gente "guerreira", que luta pelo pão, muitas vezes com a própria vida....
Acho muito sensível escreveres sobre estes temas reais, há pouco quem o faça.
Força!!!
Abraço
Meg