translator 翻訳 Переводчик




Apenas reflexos


Mal houve tempo, para me despedir de ti
apenas reflexos do teu fulgor ficarão
pouco a pouco se irão desvanecer
guardarei do que foste, suave lembrança.

Ficou em mim o calor efémero
das lembranças felizes que deixaste
fazem acreditar que é possível
alfim quem sabe, amanhã irás voltar

E nesse encanto louco, adormeço
resistindo às trevas que me prendem

7 comentários:

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Há sempre tempo para despedidas...há sempre tempo para recordar as boas lembranças...há sempre tempo para parar...para refletir para decidir que temos de acreditar. Acreditar e ir em frente é o melhor caminho. Parabéns, António! Gostei muito. Um beijinho
Emília

Fernando Gonçalves disse...

Olá, parabéns pelo seu blog.
Te convido a conhecer o meu,
http://carmasepalavras.blogspot.com/

;)

Maria João disse...

António

Há despedidas que ficam, eternamente, presas ao nosso peito e a dor que causam, só serena quando as sunlimamos num poema.

Um beijinho

. intemporal . disse...

.

.

. está sempre tão perto a alegoria do tempo certo .

.

. um abraço .

.

.

Mar Arável disse...

O ciclo natural das marés

Regina Coeli Carvalho disse...

Olá,
E as despedidas se fixam na memória.
Recebi seu vídeo, só hoje pude acessá-lo. Belas fotografias.
Estou compartilhando com os amigos.
Obrigada pelo presente em forma de olhares.
Abraços.

António Gallobar disse...

Beijinho amiga Regina grato