translator 翻訳 Переводчик

triste fado



Fado de um coração descompassado
(em Ré maior)



Quando bate o coração descompassado
Neste peito que amou sem medida
e a meio da noite acorda destroçado
pela ausência principal na sua vida

Partiste sem nada dizer, cobardemente
Meu corpo por ti chama de ilusão
E chora inconsolável essa perda
Vive o atroz sofrimento em solidão

De ti nada sei,e o que sei vou ver se esqueço
há muito que não estás, há muito que partistes
de tudo o que disseste ,nem tudo eu mereço
vou tentar esquecer, que ainda existes.




Beijos, muitos beijos e abraços...
para quem sofre com a ausência de alguém que ama ou amou e partiu, sem aviso nem sinal.
Antonio Gallobar

24 comentários:

AFRICA EM POESIA disse...

Meu amigo


BEIJOS


Beijos são sempre beijos
De tarde, à noite...
Ou mesmo de manhã...
Deixam ternura...
Matam saudades...
E conservam a vida...

LILI LARANJO

Sonia Schmorantz disse...

É lindo o poema, mas devo dizer que para cada amor que se vai, há um amor que vem, porque não fomos feitos para viver sozinhos, a natureza equilibra tudo ao seu final.
Um abraço, ótima semana

Maria João disse...

António

Perder o amor de alguém, embora não seja a perda mais dolorosa, é sem dúvida a que provoca uma ferida maior e mais difícil de cicatrizar. A solidão passa a grande e fiel companheira, a única capaz de entender o vazio.
Há muita gente só, desprezada pelas pessoas que sempre amou... companheiros e companheiras de vida, filhos, pais. Há muita gente que já não se ama a si própria, porque toda a vida foram desprezados, mal amados e por isso deixaram de acreditar que amor é o caminho.
A mensagem a transmitir, terá de ser de esperança, porque na verdade, se um amor vai, outro virá se não fecharmos a porta. Mas tem de ser de alento também, porque há amores que são insubstituíveis. E para esses, apenas podemos aprender ou ajudar a viver com a perda.

Um abraço

Sandra disse...

FIQUEI TE ESPERANDO LÁ NO SINAL DE LIBADE E NÃO FOI.
POSTEI O SEU POEMA.
ACREDITO QUE AINDA DÁ TEMPO.
PASSE LÁ EJA.
É COM MUITO CARINHO, QUE AQUELE ESO BEM CARINHO TE ESPERA.
PEGUE O ACESSO CURIOSA.
ESTE POEMA AQUI, HOJE É MUITO BELO.
O É ESPECIAL.
CARINHOSAMENTE,
SANDRA

Ana Martins disse...

Simplesmente maravilhoso! Bonita dedicatória a todos os que sofrem a ausência do ser amado, independentemente do motivo.

Beijinhos,
Ana Martins

Chica disse...

Quem sofre de amor sente uma dor no peito. Quem o tem, ainda assim, emociona-se ao ler esse poematão belo! abração,tudo de bom e um lindo resto de domingo,chica

b disse...

1.O fado é o fado.
2. Abandonados estamos todos -
seja por amor
sina
temperamento
ou
pela sensatez.

Pelos caminhos da vida. disse...

Bom domingo

Hoje é domingo...
dia lindo lá fora...
quero lhe desejar...
um lindo e iluminado domingo pra você...
desejo que seu dia de domingo...
seja cheio de alegrias...
que você viva suas fantasias...
ouça os pássaros...
veja as borboletas... circulando pelas flores...
buscando o néctar...
buscando a doçura dessa vida...
Que os raios do sol...
transmitam-lhe alegria...
....vida...
....energia...

Se a chuva manter-se

que traga-lhe gotas de bênçãos....
Faça uma fotossíntese em sua alma...
pense em Deus... ele te ilumina nesse domingo...
Te iluminará sempre...
Hoje é domingo...
Viva... ria... corra....divirta-se...
Distribua amor para quem
você ama...
Aproveite esse domingo...
Distribua o seu amor...

Depois volto pra conhecer melhor seu espaço, obrigado por se tornar seguidor do meu blog.

beijooo.

Canto da Boca disse...

Olá, Antonio, um poema que mais parece um 'flabelo' de sugestões de que na vida tudo passa, há que se viver com alegria o amor que se tem, e quando se vai, viver a perda, e estar bem consigo, para que outro amor não tarde a chegar.
E em ritmo de fado, dá definitivamente o tom do poema.

Obrigada pela visita ao Canto, é um prazer tê-lo lá.

Beijo e ótimo domingo e parabéns pelo livro!

♥*♥(franciete)♥*♥ disse...

Imensamente grata pelo seu comentário, também estou a admirar o seu blogue, e como compatriota que sou voltarei mais vezes.
Um beijinho de luz em seu coração e resto de feliz domingo

Carlos Albuquerque disse...

Não, não perdi o amor da minha vida. Ainda o tenho comigo.
Perdi sim alguém que amava. Ainda hoje sinto a perda da dor.
Lindo o poema.
Abraço
--
PS- Agradeço a visita ao meu blog e o comentário deixado. Gostei do que aqui vi, ainda a correr, mas voltarei.

O Profeta disse...

Apetece-me pintar a musica
Que me afaga a alma, desperta os sentidos
Apetece-me pintar-te o sorriso
Unir-te aos meus anseios antigos

Uma tela, universo ávido de um deus
Será o pintor o criador da cor do dia?
Um salteador das sombras da noite?
Ou apenas um semeador da nostalgia


Um boa semana

Abraço

rosa-branca disse...

Lindo poema e linda oferta de carinho para quem perdeu seus amores. Beijos

in natura disse...

És um grande poeta! Obrigado pela ilustre visita. Belíssimo blog! Beijuss

"re" disse...

Poeta...

Tu tocaste agora num dos mais profundos sentir da alma humana: a ausência do outro, seja por um adeus transitório, eterno, negligenciado. Dói. Terrivelmente dói, e o pior de tudo isto é que temos "corrido" tanto em prol da vida, do termos determinadas coisas e estamos esquecendo de "sermos" e assim tornar esse momento ímpar como um memorial de que mesmo consciente de que nada dura para sempre,"seja eterno enquanto dure", como nos escreveu nosso poeta. Acho que o olhar nos olhos do outro, o tocar, a palavra dita com carinho e ternura, e até a bronca consciente, deveria sair de cada um de nós como se aquele instante fosse o último a ser vivido... Se nos fosse possível agir assim, o adeus e a dor que ele encerra traria aquele gosto doce do algodão "devorado" numa pracinha de nossa infância. Um sentir que dói sem machucar, deixando atras o gosto de um querer, de um bem-querer cumprido... Vou mergulhar nos teus olhos quando te encontrar, me molhar no mar da tua alma e me aquecer com o sol do teu espírito. Vou de verdade. Quero um amor sem dor, sem adeus... um amor continuação...

Besos

Mariazita disse...

Não há ninguém que não tenha perdido, alguma vez, um ser amado - não forçosamente aquele que se convencionou chamar Amor.
Gostei muito do poema/fado, que trauteei a meia voz.

Boa semana.

Beijinhos
Mariazita

Sandra disse...

Tem mais um Amigo..Venha ver..http://sandraandradeendy.blogspot.com/
É alguém bem especial..Você vai gostar.
Amei a caixinha e vou levar.chei muito especial..Muito obrigada pelo link.
Ali, neste blog osamigos poetas se encontram..
Como é bom ter alguém assim tão especil: VOCÊ!

TEM UMA MADRUGADA NO POETAS.
TE ESPERO..
CARINHOSAMENTE.
A CURIOSA TEM UM SELO CARINHOSOS PARA http://sandrandrade.blogspot.com
Vou te aguardar por, lá ...
Sandra

Sonhadora disse...

meu querido amigo
Lindo texto e lindo poema.
deixo o meu carinho e um bijinhos.

Sonhadora

Daniel Dragomirescu disse...

Un blog my interesante.
Daniel D. Peaceman, writer and editor

serpai disse...

Siempre me es gratificante recorrer el mundo de los blogs… y encontrar algunos como el tuyo. También tengo la esperanza que alguna vez pueda verte por el mío, que también se escribe en portugués, sería como compartir esta pasión por escribir que une a tantas personas y en tantos lugares...

Sergio

Alma Inquieta disse...

Parabéns pelo blog e pelo post!

Efectivamente há pessoas muito carentes que encontram apoio na net...

Voltarei mais vezes.

Um beijo.

lidia disse...

AMIGO POETA,HERMOSO,BELLO,CALMO, POEMA,Y ADEMAS ME CUENTAS SOBRE LOS FAD!ADORO LOS FADOS!
GRACIAS POETA
U SALUDO
LIDIA-LA ESCRIBA

A.S. disse...

António,

Agradeço as palaras simpáticas que me deixou. São o melhor estímulo para novos desafios!
Não prometo a minha presença no lançamento da Antologia. Irei fazer o possivel, vamos ver. Talvez um dia possamos tomar um café!
Agora vou dar uma olhada pelas suas letras.

Um abraço
AL

João Menéres disse...

Ora veja lá quem é o seu SEGUIDOR nº 100...

Parabéns e um abraço.